Vítima do machismo sem máscara de um esbirro de Jair Bolsonaro, a senadora Simone Tebet disse em março de 2020, no programa Roda Viva, que a população brasileira “fez o dever de casa” elegendo o fascista misógino, porque “ela não tinha alternativa” no segundo turno das eleições de 2018.

“Não houve alternativa. A população fez, ao meu ver, o dever de casa. Naquele momento, ela não tinha alternativa, ela tinha que fazer uma escolha entre um presente, hoje passado, que não deu certo, é importante se lembrar disso, especialmente na questão seja de corrupção, seja no que se refere a erros crassos na economia que fizeram com que o Brasil também chegasse ao patamar da crise econômica que está hoje, ou um novo. Então ela teve que fazer uma alternativa. Agora, confesso que acho que apoiadores mais moderados do presidente se encontram frustrados com certas atitudes, certos comentários, com certos posicionamentos”, disse Tebet, na ocasião.

No segundo turno das eleições 2018, chamava-se Fernando Haddad a alternativa que existia, sim, ao candidato à presidência que dissera que não estupraria uma parlamentar como Tebet porque ela era “feia” e que havia se referido à concepção de sua única filha mulher como “uma fraquejada”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *