O prefeito da cidade gaúcha de Cerro Grande do Sul, Gilmar João Alba, do PSL, foi flagrado pela Polícia Federal com R$ 505 mil em espécie no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, às vésperas do dia marcado para o “último recado” de Jair Bolsonaro ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal.

A suspeita é que Gilmar João Alba, ferrenho bolsonarista, conhecido como Gringo Loco, estivesse transportando cascalho para financiar manifestações golpistas – de autogolpe, “intervenção militar com Bolsonaro presidente” – marcadas para o 7 de setembro. As maiores são previstas para Brasília e para São Paulo.

No início da pandemia, Gilmar João Alba protagonizou esta cena:

Fuzil, metralhadora, pistola

No início de junho deste ano, quando o governo do Rio Grande do Sul liberou R$ 15 milhões para obras em Cerro Grande do Sul , o Gringo Loco disse que iria comemorar assim:

“Vai ter tiro de fuzil, metralhadora, pistola e todos os armamentos que eu tenho lá”.

Em 2018, a empresa de Gilmar João Alba foi atuada pelo Ministério Público do Trabalho por coagir seus funcionários a votarem em Jair Bolsonaro.

No ano passado, Gringo Loco foi homenageado por Eduardo Bolsonaro, que portava um fuzil:

E mais sobre as relações do Gringo Loco:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *