Chama-se Força de Fuzileiros da Esquadra (FFE) a unidade militar que nesta terça-feira, 10, irá com tanques, armamentos e outros meios até a Praça dos Três Poderes “entregar um convite” a Jair Bolsonaro para que o presidente assista a um exercício militar no interior de Goiás.

A FFE abriga, como parte destacada da sua estrutura, o Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais, conhecido como Batalhão Tonelero ou Comanf (Comandos Anfíbios).

O Batalhão Tonelero foi criado na Ditadura, no governo Médici, e sua primeira formação teve oficiais oriundos do Curso de Contra-guerrilha da Escola Naval. Bope da Marinha, seu símbolo é também à moda “faca na caveira”, mas, em vez de faca, um raio perfurando o osso frontal e saindo pela mandíbula.

Em 1972, a Força de Fuzileiros da Esquadra recebeu ordens do Comando da Marinha para eliminar militantes da Guerrilha do Araguaia. O Batalhão Tonelero foi criado em 1971.

Ex-líder do governo na Câmara, o deputado Major Vitor Hugo (PSL) esteve há poucos dias na sede do Batalhão Tonelero, no Rio de Janeiro. Na mesma data, Vitor Hugo disse ter destinado R$ 200 mil em emendas impositivas individuais aos “caveiras” da Marinha.

O Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais, Batalhão Tonelero, Comanf, esteve sob o comando do general Augusto Heleno no Haiti.

Os tanques, armamentos e outros meios da Força de Fuzileiros da Esquadra estão a caminho de Formosa, Goiás, para um treinamento conjunto com o Exército e a Aeronáutica. Nisso, vão dar só uma entradinha na Praça dos Três Poderes, para darem uma palavrinha com o verme.

Nesta segunda-feira, 9, Arthur Lira disse se tratar de uma “coincidência trágica” que isso vá acontecer justamente no dia marcado por ele para o plenário da Câmara decidir sobre o “voto auditável”.

Foi importante o presidente da Câmara vir a público se pronunciar sobre o horóscopo. Por esses dias parece que há mesmo alguma tensão dos signos com Netuno.