A Taurus Armas tirou do ar a promoção “Semana Brasil – Carabinas e Fuzil”, que havia sido lançada, segundo a empresa, “para movimentar a economia brasileira com descontos e benefícios no varejo na semana em que é comemorada a Independência do País”. Não há mais sinal da promoção no site e nas redes sociais da Taurus.

Na promoção, a Taurus oferecia, por exemplo, um Fuzil T4 semiautomático calibre 5.56 NATO com 25% de desconto. Em junho, este Come Ananás mostrou que esta mesma arma foi adicionada pelo Ministério da Defesa à lista de Produtos Estratégicos de Defesa. A inclusão se deu por portaria assinada pelo general-ministro Paulo Sergio Nogueira de Oliveira.

Come Ananás chamou atenção para a promoção da Taurus na tarde da última segunda-feira, 5. No mesmo dia, à noite, a Folha de S.Paulo também atentou para as “condições especiais” para a compra de fuzis e carabinas oferecidas pela Taurus por conta da Semana da Pátria. Ainda na segunda, o ministro Edson Fachin, do STF, suspendeu liminarmente trechos dos decretos armamentistas editados por Jair Bolsonaro.

Na manhã desta quarta-feira, 7, no site de vendas da Taurus, um banner do fuzil T4 Nato direcionava o cliente para a página de uma pistola 9mm.

Nesta terça-feira, 6, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) pediu ao Conar e ao Procon a suspensão dos anúncios da promoção veiculados pela Taurus e a retratação pública da empresa.

“A publicidade visa associar a comercialização de armas de fogo com o patriotismo brasileiro, utilizando-se dos fomentos de incentivos às armas para criar uma ideia de ‘heroísmo nacional’, em que seria necessária a utilização de armas para a proteção da nação, especialmente considerando a data de 7 de setembro”, posicionou-se a ABI.

Deixe um comentário

Deixe um comentário Cancelar resposta