Quando perguntado, nesta quinta-feira, 23, sobre qual senador da República esteve com vossa senhoria em Las Vegas, Danilo Trento, diretor da Precisa, repetiu pela enésima vez que “vou exercer meu direito de ficar em silêncio”.

Mas poderia ter dito, só pra variar um pouco: “o que acontece em Las Vegas, fica em Las Vegas”.

“O que acontece em Vegas, fica em Vegas”. O famoso slogan da “cidade do pecado” incrustada no deserto do Nevada é também uma das mais famosas frases da comédia blockbuster “Se Beber, Não Case”.

No filme, quatro amigos, Doug, Phil, Stu e Allan, viajam para Las Vegas para a despedida de solteiro de um deles, Doug, que se tornaria desastrosa. A viagem descarrila para uma sucessão de situações bizarras e insólitas depois que o quarteto é drogado sem saber e, em seguida, acaba se metendo com um criminoso pervertido e trapalhão.

“Se Beber, Não Case” estreou em 2019 e teve duas sequências, lançadas em 2011 e 2013. Há poucos anos, um dos atores da franquia, Ed Helms, descartou a possibilidade de a trilogia virar tetralogia: “eu diria que as chances de um quarto filme estão entre zero e zero”.

Ed Helms não contava com os intrépidos roteiristas do Tupinanreich. No fim de janeiro de 2020, quatro parças bolsonaristas, Hélio, Gilson, Irajá e Flávio, pegaram um avião para Las Vegas enquanto “comitiva da Embratur”, para se reunir, por exemplo, com o presidente de um tal “Carnival Group”.

Até a foto de divulgação da embratrupe lembra uma foto de divulgação da comédia pastelão:

A diferença é que a namorada do senador Irajá Abreu não ficou em casa não:

Senadores da CPI têm a informação de que Danilo Trento estava no voo do “Carnival Group”, por assim dizer, e de que Trento estava no voo para acompanhar Flavio Bolsonaro em esforços para fazer do Tupinanreich, desta várzea, mais um paraíso do dado e da roleta. A dobradinha, caso confirmada, ligaria ainda mais o nome de Flavio ao caso Precisa/Covaxin.

E olha que não é este o caso do vacinoduto em que o nome da companhia remete a esbórnias: CanSino.

‘Oh!’

No primeiro “Se Beber, Não Case”, a despedida de Doug, que era para ser sóbria, vira zona. No dia seguinte, Doug, Phil, Stu e Allan não faziam a mais pálida ideia do que tinha acontecido, não se lembravam, tal e qual a maioria dos investigados e testemunhas da CPI.

Após mais um caso de amnésia, a CPI já aprovou a quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático de Danilo Trento.

No finzinho do filme, na última cena, Doug saca do bolso uma câmera digital e propõe que todos vejam juntos as fotos da noite em Vegas que apagaram da memória, para depois apagá-las, as fotos, do cartão SD.

Os quatro se curvam sobre a pequena tela da câmera e, logo ao verem a primeira imagem, exclamam:

“Oh!”.

Danilo Trento na CPI da Covid-19 (Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *