Imagem: Reprodução/Redes sociais.

Vem alcançando grande repercussão na mídia brasileira neste início de semana um ranking de deputados federais da atual legislatura, o Índice Legisla Brasil, elaborado como se fosse um certame de funcionário do mês do McDonalds – aquele que mais ajudou a vender, quem sabe, McPicanha sem picanha – ou do Burger King – fazendo sair Whopper Costela sem costela, em combos com refil de refrigerante cola.

O índice avalia a qualidade da atuação parlamentar com critérios majoritariamente quantitativos, como “número de presenças em plenário”, “número de relatorias apresentadas” e “número de requerimentos de audiência pública”.

A tônica da repercussão na mídia é a recomendação aos eleitores para que deem uma espiadela no índice antes de escolher em quem votar para a Câmara nas eleições de outubro. Pois vejamos.

“Guia para a população avaliar o desempenho dos seus representantes”, o Índice Legisla Brasil classifica com bom desempenho uma miríade de deputados federais que ajudaram a espalhar notícias falsas e a boicotar medidas sanitárias durante a pandemia de covid-19, como Helio Bolsonaro (PL-RJ), Bibo Nunes (PL-RS), Luiz Lima (PL-RJ) e o “príncipe” Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PL-SP) e Coronel Tadeu (PL-SP).

Coronel Tadeu foi o deputado que em 2019 destruiu uma placa de uma exposição montada na Câmara para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra.

O deputado Filipe Barros (PL-PR), grande aliado de Jair Bolsonaro na Câmara no empreendimento golpista de desqualificação das urnas eletrônicas, também está entre aqueles que o Índice Legisla Brasil garante que teve desempenho bom ou ótimo na 56ª Legislatura.

O inclassificável Daniel Silveira (PTB-RJ) ganhou classificação “regular” – três estrelinhas no índice.

Um dos poucos critérios qualitativos da metodologia utilizada, a “relevância de autorias”, não foi suficiente para impedir que um deputado bolsonarista, Sanderson (PL-RS), alcançasse o topo do ranking – “os deputados cinco estrelas do Brasil” – mesmo sendo coautor de um projeto de lei para inscrever o nome de Olavo de Carvalho no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria.

Que a maioria dos deputados com desempenho “bom ou ótimo” no índice seja da oposição é apenas um reflexo igualmente “técnico”, e um tanto óbvio, do critério “proposta de fiscalização e controle protocoladas” (sic).

‘Banco de Aceleradores para o Legislativo’

A Legisla Brasil se apresenta como “uma organização sem fins lucrativos e suprapartidária, que trabalha para profissionalizar a política”.

No melhor estilo Paulo Lehman (Tábata Amaral também está entre “os deputados cinco estrelas do Brasil”), a Legisla Brasil oferece um tal “Banco de Aceleradores para o Legislativo”:

O Índice Legisla Brasil é uma parceria da Legisla Brasil com a economista Olivia Carneiro, que se apresenta, por sua vez, como “mestre em economia pela Universidade de Chicago, educadora política e digital influencer com mais de 60 mil seguidores nas suas redes sociais”.

Pano rápido…

Deixe um comentário

Deixe um comentário