Foto: Alan Santos/PR.

Fortaleça a imprensa democrática brasileira

Tudo indica que a variante Ômicron do Sars-Cov-2 é menos perigosa do que a Delta – e do que todas as outras já identificadas – tanto para adultos quanto para crianças.

A Ômicron, porém, é mais contagiosa; as crianças, no entanto, não estão vacinadas, e o que está acontecendo nos EUA com crianças não vacinadas, em meio à disseminação da Ômicron, já seria motivo (mais um para a lista) para apear imediatamente Marcelo Queiroga do ministério da Saúde e Jair Bolsonaro do poder.

Isto não irá acontecer, mas vamos à situação nos EUA, onde a vacinação de crianças acima de cinco anos já está liberada há quase dois meses, mas a cobertura vacinal infantil ainda é baixa:

Nos EUA, nas últimas semanas de avanço da Ômicron, o aumento das internações pediátricas por covid-19 vem acontecendo num ritmo duas vezes maior do que o das internações de adultos. Em vários estados americanos as admissões de crianças em hospitais por causa da doença aumentaram 50%. Na semana passada, nos EUA, uma impressionante média de 1.200 crianças por dia foram hospitalizadas com covid-19. Há menos de um mês, no final de novembro, a média era de 800.

Na semana passada, só a cidade de Nova York internou 68 crianças com covid – quatro vezes mais do que duas semanas antes. Em Nova York, 90% dos novos casos de covid-19 são da variante Ômicron. No nova-iorquino Cohen’s Children’s Medical Center, até oito crianças estiveram internadas com covid ao mesmo tempo na UTI nos últimos dias. No fim de novembro, havia sempre apenas uma, ou nenhuma.

“O que estamos vendo em nossa UTI deixa claro que a vacinação é a coisa mais importante que você pode fazer para proteger seu filho de ficar doente com esse vírus”, disse ao New York Times o Dr. James Schneider, chefe de cuidados intensivos pediátricos do Cohen’s Children’s Medical Center.

Em entrevistas dadas à mídia americana, vários chefes de hospitais pediátricos e médicos de cuidados intensivos vêm dizendo que quase todas as crianças hospitalizadas com covid-19 nos EUA têm uma coisa em comum: elas não estão ou não estavam vacinadas.

O Dr. Juan Salazar, chefe do Connecticut Children’s Medical Center, disse à CNN que o novo coronavírus “encontrou um novo nicho”: as crianças. Em Connecticut, a variante Ômicron é responsável por mais de 80% dos novos casos, e apenas um terço das crianças elegíveis, com cinco anos ou mais, já foram vacinadas.

No Brasil dos apagões em todos os sentidos, sabe-se muito pouco sobre o comportamento atual da covid-19 no Brasil. Certeza mesmo é que 0 em cada 3 crianças com cinco anos ou mais já foram vacinadas. É que o genocida encontrou um novo nicho também.

Deixe um comentário

Deixe um comentário