Apoie o Come Ananás

Fortaleça a imprensa democrática.

Em discurso feito neste sábado, 4, num evento “conservador” organizado por Eduardo Bolsonaro, o presidente da Associação Nacional Movimento Pró-Armas, o advogado Marcos Zborowski Pollon, incentivou a compra de armas para “reagir” a injustiças, a “luladrão” e ao Supremo Tribunal Federal, referido como “a corte que está querendo destruir o país”.

“Quando você toma a decisão de comprar uma arma, antes mesmo de tocar nela, você tomou um decisão irrevogável: você não vai ser mais vítima, e a partir daquele momento, qualquer injustiça vai calar fundo no seu peito, e você reage. Você reage ao ‘luladrão’, você reage à corte que está querendo destruir o país. Temos que reagir. Não temos tempo nem espaço para ter medo. Se nós não nos levantarmos agora, se nós não reagirmos agora, não vai sobrar nada”, disse Pollon, que é o mais destacado líder armamentista do país, depois do próprio Eduardo e de Jair Bolsonaro.

A incitação, feita em Brasília a três dias das manifestações de “ultimato” ao STF convocadas por Bolsonaro, pode ser vista no vídeo abaixo, a partir do minuto 19:

‘Eu sou apaixonado por Bolsonaro’

Por semelhantes açulamentos, o ministro Alexandre de Moraes determinou nas últimas semanas busca e apreensão nas residências do cantor Sergio Reis e do deputado Otoni de Paula, e as prisões do presidente do PTB, Roberto Jefferson, do caminhoneiro Zé Trovão e do blogueiro bolsonarista Wellington Macedo.

No discurso que fez neste sábado na segunda edição brasileira da Conservative Political Action Conference (Cpac), Pollon reconheceu a possibilidade de ser preso por seus posicionamentos, e disse que já tem um plano para o caso de a polícia bater na sua porta. “O plano é esse”, disse, e começou a rezar o Pai Nosso; depois, a Ave Maria.

“E nós não devemos ter medo. Porque está escrito que você, cristão, não deve ter medo de déspotas, cretinos e canalhas que querem subjugar uma nação abençoada por Deus. Nós temos a frase nas camisetas: ‘um povo armado jamais será escravizado’. É uma frase linda. É uma frase de impacto. É uma frase que fica bem em qualquer rede social. Mas o que quer dizer essa frase? Se vocês não entenderem o que quer dizer essa frase, não vai adiantar nada”, disse Pollon, exaltado.

“Eu quero todo mundo armado. Porque povo armado jamais será escravizado”, disse Jair Bolsonaro na famosa reunião ministerial de 22 de abril de 2020, a mesma em que o ex-ministro Abraham Weintraub defendeu pôr “esses vagabundos todos” do STF na cadeia.

“Tem que todo mundo comprar fuzil, pô. Um povo armado jamais será escravizado”, disse Bolsonaro no dia 17 de agosto, na porta do Palácio da Alvorada.

“Eu sou apaixonado pelo Bolsonaro, mas o Eduardo, puta que pariu, o Eduardo é foda, é um gigante”, disse Marcos Pollon no vídeo em que comentou seu próprio discurso no Cpac.

Interferência na PRF

No vídeo, Marcos Pollon ainda promete que até o fim do ano irá abrir um escritório físico do Movimento Pró-Armas em cada estado do Brasil para dar suporte aos CACs (Colecionadores, Atiradores Esportivos e Caçadores): “quero ser mais ágil. Quero ser mais eficiente. Para que combatamos o mal juntos, pela nossa liberdade”.

Ainda no vídeo, Pollon menciona que “saiu o texto da PRF sobre a abordagem do CAC”.

Referia-se ao seguinte:

Na última quarta-feira, dia 1º, o superintendente da Polícia Rodoviária Federal em São Paulo, Antonio Fernando de Miranda, deslocou-se até Brasília para uma reunião com Pollon, Eduardo Bolsonaro e o diretor da PRF, Silvinei Vasques. Na pauta, a liberdade, a não interferência para que qualquer CAC possa transitar pelas estradas com armas de fogo carregadas.

Eduardo saiu da reunião dizendo que a PRF divulgaria em breve “um manual para orientar seus policiais sobre abordagem a CACs”:

“Se um atirador diz que vai a um clube e está munido de seu CR (registro de atirador junto ao Exército), CRAF (documento de registro da arma) e GT (guia de tráfego) isso já basta para que siga seu destino, sem necessidade de comprovação de qualquer trajeto”.

Trajetos

Por falar em trajetos, na noite deste sábado, após participar do Cpac em Brasília, Marcos Pollon pegou um avião para São Paulo e, na manhã deste domingo, 5, tomou a estrada para a cidade de Itu, a fim de participar também do W2C Brazil 2021, um megaencontro de atiradores que acontece no feriado da Independência no maior clube de tiro da América Latina, o BASE ArmaLite.

Come Ananás informou sobre o W2C Brazil 2021 nas matérias “SP terá ‘maior evento de combate urbano do mundo’ no feriado de 7 de setembro” e “‘Somos uma legião’: às portas do ‘ultimato’, começa megaencontro de atiradores em SP“.

Uma das “autoridades” presentes do W2C Brazil é um ex-diretor da Polícia Rodoviária Federal que hoje atua na Casa Civil de Bolsonaro, no quarto andar do Palácio do Planalto. A participação de Marcos Pollon não estava prevista na programação divulgada no site do evento.

O W2C Brazil termina no dia do “ultimato”, o slogan do BASE ArmaLite é “Deus, Família, Nação”, Itu fica a uma hora de carro da capital paulista e “saiu o texto da PRF sobre a abordagem do CAC”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *