6 de dezembro de 2021 Premio Reclame Aqui 2021 Fotos Tatiana Ferro

Há coisa de dois meses um cliente da Tauros Armas, morador da cidade do Rio de Janeiro, comprou quatro pistolas da casa – uma PT 938, uma PT 100 e duas PT 92 -, um revólver RT 608, um fuzil T4 e uma carabina CT9. O arsenal, segundo ele, chegou todo com defeito.

“Essa – a CT9 – eu nem tive coragem de atirar com ela, a arma veio tão suja, que fiquei um dia inteiro limpando a pólvora que veio de cortesia (essa eu acho que eles usaram bastante, mas eu paguei por uma arma nova), o ferrolho é tão mau (sic) usinado que falta alguns pedaços”, tascou o consumidor de armas de fogo no site Reclame Aqui.

“Ao verificar o armamento com calma, percebi que o gatinho está “chacoalhando” (fazendo barulho quando balanço a arma)… está com folga!”, disse no Reclame Aqui um outro cliente da Taurus, este de Magé, município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, uma das cidades mais violentas do estado.

Estes são dois dos mais de 1.200 protestos de atiradores insatisfeitos registrados no Reclame Aqui contra a Taurus, 424 deles feitos nos últimos 12 meses. Só no primeiro semestre de 2021, o volume de compras de armas no Brasil superou o total dos dois anos anteriores ao governo Jair Bolsonaro.

Em novembro, a Taurus inaugurou em Brasília sua primeira loja AMTT (Armas, Munições Tiro e Treinamento). A empresa planeja para 2022 um programa de franquias deste tipo de empório do berro e do pipoco.

É tão grande a festa do berro e do pipoco no Brasil que a edição deste ano do Prêmio Reclame Aqui, entregue no início de dezembro e realizado em parceria com a Época Negócios, estreou a categoria “armas, munições e acessórios”. O prêmio foi para ela, a Taurus, apesar das pólvoras de “cortesia” e dos gatilhos chacoalhando

É que a Taurus Armas responde 100% das reclamações no Reclame Aqui, o índice solução dos problemas é de 91% e 88% voltariam a “fazer negócios” com a companhia, como se ela vendesse ventiladores, e não armas de fogo, como pão quente…

Em segundo lugar ficou a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), por mais que entre as 520 reclamações contra a firma ao longo dos últimos 12 meses, tenha pelo menos uma por um rifle faturado por um CNPJ sem autorização do Exército para vendê-lo.

Sem contar os muitos que diariamente até gostariam, mas, crivados de bala, nunca terão a chance de reclamar contra a Taurus, a CBC, de nada, nem no Reclame Aqui, nem em lugar nenhum. É que na maioria das vezes o gatilho funciona perfeitamente.

Participe da conversa

1 Comentário

  1. É que o mero ronronar da imprensa marinhesca, por mais cheia de gatimanhas que seja, ainda faz mais barulho que as demais juntas, que azar! Ninguém, fora o saudoso ‘Pasquim’, se dá conta da brochura incomensurável a que se dispõem e voluntariam — fato de se lamentar até uma jararaca-açu. Enfim, ter como seguir a uma filosofia política aceitável em nossos dias, é um feito sem tamanho, mas raro, o que dá pena!

Deixe um comentário

Deixe um comentário