Jair Bolsonaro e o ministro-general Paulo Sergio em Brasília no 7 de setembro milico-eleitoreiro (Foto: Alan Santos/PR).

Em mensagem especial de homenagem ao Dia da Independência, gravada em vídeo, o general-ministro da Defesa, Paulo Sergio Nogueira de Oliveira, afirmou que as Forças Armadas “têm sido um sustentáculo da existência do Brasil”:

“As Forças Armadas têm sido um sustentáculo da existência do Brasil. Combates foram travados no solo pátrio e no exterior. Batalhas foram vencidas; objetivos conquistados; a unidade e a integridade nacional preservadas; e a liberdade e a democracia defendidas”. 

Em março de 2019, Jair Bolsonaro disse que “isso, democracia e liberdade, só existe quando a sua respectiva Forças Armadas assim o quer” (sic).

Paulo Sergio disse ainda que, hoje, militares e civis reforçam o “sacrifício” dos que “atenderam ao chamamento da Pátria”:

“Os brasileiros de hoje, civis e militares, homenageiam e acolhem o brado do Ipiranga, ratificando a sua expressão patriótica e reforçando o sacrifício dedicado por muitos outros heróis que, como naquele 7 de setembro de 1822, atenderam ao chamamento da Pátria e colocaram-se a serviço dela”.

De resto, o ministro da Defesa, marchando sobre, pisoteando a complexidade do processo de independência do Brasil, atribuiu a independência a um único coração, se é que vocês me entendem, do mesmo modo que têm sido, o general, sustentáculo da existência de contestação do sistema brasileiro de votação eletrônica:

“Honras ao Imperador Dom Pedro I, que nos tornou uma nação livre!”.

Deixe um comentário

Deixe um comentário Cancelar resposta