Uma multidão insuflada por parlamentares golpistas e pela Joven Pan, financiada por empresários, acobertada pelas Forças Armadas e consentida pelo ministro da Defesa invadiu, na tarde deste domingo, 8, o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal.

Diante da escancarada omissão do governo do Distrito Federal, quem vai conter os terroristas? A Força Nacional, adestrada durante anos pelo marido de Carla Zambelli?

Há sinais também de que, das duas, uma: ou Flávio Dino falhou, e não é o que parece, ou a Polícia Rodoviária Federal fez ouvidos moucos às determinações feitas nos últimos dias pelo ministro da Justiça. É o que parece. Como uma caravana com 100 ônibus consegue despejar milhares de terroristas na capital do país?

Contido o ataque terrorista, José Múcio Monteiro precisa ser demitido. Desde que foi anunciado para o cargo de ministro da Defesa, Múcio já afirmou:

  1. que Bolsonaro é um democrata;
  2. que concentração golpista na frente de quartel “é uma manifestação da democracia”;
  3. que tem parentes e amigos na frente de quartéis.

Em seguida, impedir que parlamentares que há tempos vêm costurando à luz do dia o Capitólio brasileiro sejam impedidos de fazer parte da próxima legislatura, que está prestes.

Depois, o resto, como a prisão dos financiadores e açuladores de golpe de estado que, se nada disso acontecer, vai acabar acontecendo…

Apoie o nosso jornalismo

Fortaleça a imprensa democrática brasileira. Venha junto romper o ronrom da mídia corporativa.

FAÇA UMA ASSINATURA de apoio ao jornalismo do Come Ananás. É rápido e seguro. Cancele quando quiser na área do assinante.

OU FAÇA UM PIX do valor que quiser ou puder. Toda contribuição é importante. Esta é a chave Pix do Come Ananás:

apoio@comeananas.news

Participe da conversa

1 Comentário

  1. Quem sabe o PT põe um projeto de lei para extinguir a PRF e delega aos governadores a responsabilidade de policiar os trechos de rodovias, mesmo federais, e aí extingue a carreira desses traidores da constituição e do serviço publico e assassinos da PRF?

Deixe um comentário

Deixe um comentário