A Universidade Castelo Branco (UCB), com presença na Zona Oeste do Rio de Janeiro e polos em várias cidades fluminenses, fechou repentinamente nesta semana oito cursos de graduação, entre eles os de História, Serviço Social e Letras.

É mais uma universidade privada brasileira fechando cursos de ciências humanas na esteira da devastação utilitarista-gerencial-empreendedora, por mais que, no cenário do ensino superior brasileiro, a UCB não tenha relevância comparável à da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), do Rio Grande do Sul.

Há poucos dias, e menos de um ano após a inauguração de uma pós em parceria com a Taurus Armas, a Unisinos fechou 12 dos seus 26 cursos de pós-graduação, entre eles os de Comunicação, História e Ciências Sociais.

Nesta sexta-feira, 29, duas alunas da UCB relataram à Rede Globo que a universidade ofereceu aos alunos dos cursos que estão sendo fechados uma “transferência assistida” para a Universidade Estácio de Sá, que desde o início do ano oferece o curso de empreendedorismo “Anitta Prepara”. A primeira aula teve o tema “inove e saia do quadrado”.

Na reportagem da Rede Globo, a repórter e as duas alunas da UCB ouvidas exercitaram a novilíngua neoliberal em seu esplendor, dizendo, no lugar de “fechados”, que os cursos foram “descontinuados”.

Deixe um comentário

Deixe um comentário Cancelar resposta