“Descassado” pelo líder do governo no Supremo, Kassio Nunes Marques, no fim da semana passada, o deputado estadual paranaense Fernando Francischini foi “recassado” pela segunda turma do STF na tarde desta terça-feira, 7.

Neste meio tempo, horas antes da sua “recassação”, Francischini protocolou na Assembleia Legislativa do Paraná um projeto de lei que “assegura a liberdade de expressão e informação”.

Para lembrar: Fernando Francischini foi cassado pelo TSE porque em 2018, no dia da eleição, repercutiu em redes sociais, de forma sabidamente falsa, que urnas eletrônicas tinham sido adulteradas para não aceitarem votos em Jair Bolsonaro.

No PL 245/2022, que Francischini chama de “PEC da Liberdade”, chama atenção o que o ex-ex-ex-deputado consigna no artigo número quatro:

“Os veículos de comunicação ou redes sociais, situados ou atuantes no Estado do Paraná, têm imunidade absoluta quanto à divulgação de informações ou opiniões e garantido o impedimento de proibição de seu funcionamento”.

Deixe um comentário

Deixe um comentário