Silas Malafaia e Fred Arruda, embaixador do Brasil em Londres.

Em seu artigo “Dois anos de uma política externa rudimentar”, publicado no livro “Governo Bolsonaro: retrocesso democrático e degradação política”, o professor de política internacional e comparada Dawisson Belém Lopes, da UFMG, discorre sobre a “corrida ao fundo do poço” protagonizada por certos chefes de representações diplomáticas do Brasil ao longo do governo Bolsonaro.

“Uma das estrelas da companhia”, nas palavras do professor, é o embaixador do Brasil na França, Luiz Fernando Serra, que escreveu um artigo no Le Monde tecendo loas ao enfrentamento da pandemia de covid-19 por… Jair Bolsonaro. Já Pompeu Andreucci Neto, embaixador do Brasil na Espanha, acusou o jornal El País de ter uma “tara” por falar mal de Bolsonaro.

“Outro embaixador adestrado – diz Dawisson Belém Lopes – é Fred Arruda, postado em Londres, responsável por redigir carta ao Financial Times com acusação de que o vetusto jornal inglês ‘superdramatiza’ a situação periclitante da democracia no Brasil”.

Em outra carta, esta enviada em 2019 ao The Guardian, Fred Arruda se insurgiu contra parlamentares britânicos que haviam denunciado no jornal o caráter político da prisão de Luis Inácio Lula da Silva. Neste fim de semana, e naquela corrida ao fundo do poço, Fred Arruda disse ser “uma enorme honra” receber o pastor bolsonarista Silas Malafaia em Londres.

Quando o indigenista brasileiro Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips estavam desaparecidos na Amazônia, meses atrás, alguém da Embaixada do Brasil em Londres passou a mão no telefone e ligou para a esposa de Dom Phillips para dizer que o corpo do jornalista havia sido encontrado amarrado a uma árvore. No dia seguinte, Fred Arruda pediu desculpas, lamentando “que a embaixada tenha passado à família ontem informações que não se mostraram corretas”.

A história das “informações que não se mostraram corretas” até hoje permanece muito mal contada.

Ex-assessor e homem de confiança de Michel Temer, Fred Arruda foi cotado para chefiar o Itamaraty quando, no governo Temer, José Serra deixou o cargo de chanceler, em 2017. Mas foi outro tucano, Aloysio Nunes Ferreira, quem acabou assumindo o posto.

No último fim de semana, foi de uma janela de Fred Arruda, ou melhor, foi de uma janela da residência oficial do embaixador do Brasil em Londres, que Jair Bolsonaro fez um ato de campanha ilegal na capital britânica, aproveitando-se de viagem e prédio oficiais para dizer a uma claque ensandecida que “não tem como a gente não ganhar no primeiro turno”, entre outras.

Foi, aparentemente, na sala de visitas do embaixador Fred Arruda que Jair Bolsonaro disse a um repórter adestrado do SBT que “se eu tiver menos de 60% dos votos, algo de anormal aconteceu no TSE”.

É 100% certo que algo anormal acontece, isto sim, na Embaixada do Brasil em Londres, transformada em posto avançado do bolsogolpismo.

Deixe um comentário

Deixe um comentário Cancelar resposta